Redes sociais: como usá-las no B2B neste momento?

Um dos pontos de qualquer reunião de marketing neste momento é o que dizer nas redes sociais. O equilíbrio entre saber o que falar e abordar a pandemia do novo coronavírus e o que, ao contrário, evitar.

Há ainda a questão da interação com os clientes, isto é, a importância de não deixar de postar nas redes sociais, independentemente da queda na demanda de produtos – que, em países como o Reino Unido, chegou a 75%, segundo dados da consultoria Econsultancy.

Apesar dos possíveis cortes no orçamento de marketing e das dificuldades do momento, uma coisa é certa: sua postura nas mídias sociais precisa se adaptar ao contexto.

Um primeiro passo é torná-las mais próximas dos usuários, informais, se concentrando em ouvir os clientes e fornecer informações que sejam relevantes tanto para a conversão quanto para a relevância da empresa. Aqui algumas dicas:

Toque humano no B2B

Em meio a toda uma nova maneira de trabalhar, é improvável que as campanhas de marketing B2B planejadas antes da pandemia ainda sejam relevantes para o público.

Dados do LinkedIn, por exemplo, apontam que, além dos termos específicos relacionados ao coronavírus, postagens com palavras como “suporte”, “ajuda”, “pessoas” e “funcionários” estão tendo o maior engajamento.

O Linkedin também é palco de outro fenômeno: profissionais que estão recorrendo à rede social para compartilhar práticas dos seus empregadores ou elogiar o apoio que prestaram durante a crise.

Eles estão postando também histórias pessoais, em vez de leads de marketing, o que acaba dando um toque mais autêntico.

Postar diariamente

Se já era importante no B2B antes da crise, agora isso se tornou mandatório – em um cenário em que até as postagens de mídia social agendadas no dia anterior podem ficar desatualizadas rapidamente.

O gerenciamento das mídias sociais precisa ser ágil – verificando, aprimorando e até arquivando postagens planejadas e que não falam mais sobre o momento do dia.

Pode parecer quase impossível fazer isso, mas uma saída é criar uma rota que funcione para todos. Na Intelligenzia, por exemplo, todos os clientes possuem um mapa de posts dinâmico que permite tanto visualizar o planejamento do mês quando mudar de rota quando necessário.

Revisitar as personas

Com tudo mudando rapidamente, é essencial entender agora o que as personas da sua empresa estão falando, assim como com o que elas estão se preocupando. As ferramentas de interação social fornecem muitas informações, como descobrir quem está mais disposto a ter diálogos mais profundos.

Nos perfis de algumas empresas, não está sendo difícil encontrar perguntas como:

  • O que os está frustrando agora?
  • Com o que eles estão preocupados, profissional e pessoalmente?
  • De que ajuda eles precisam?
  • Que conteúdo você pode fornecer que os ajudará durante esse período?

Criar uma comunidade

O grande problema atual é a demanda: mesmo com esforços das empresas, muitos compradores estão fora do mercado neste momento – e deve ser assim no futuro próximo.

Ainda segundo o LinkedIn, houve um aumento de 12% no engajamento em posts sobre gerenciamento de crises.

Ao fornecer conteúdo útil para seu público, sua empresa se torna capaz de criar uma comunidade em que os compradores não apenas consomem informação, mas recorrem a ela quando estiverem prontos para voltar a comprar.

O foco em métricas, como engajamento e seguidores, o ajudará a longo prazo tanto a manter a comunidade como a converter.

A crise do novo coronavírus acabará. Portanto, não perca de vista seus objetivos de longo prazo, sendo realista sobre o que é alcançável agora.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn