Por que certas táticas de conteúdo falham?

Você já deve ter ouvido falar de diferentes táticas para produção de conteúdo – textos longos, textos de base, textos “evergreen”, bem, a lista é longa. Cada vez que aparece uma nova tática, aparece a promessa de uma mudança radical nos resultados.

Mas o problema que ocorre com essas novas táticas é muito simples: na medida em que um número enorme de pessoas implementa as novas táticas, elas acabam se tornando mais um parâmetro normativo para indexação. Ou seja, deixam de ser algo que promove um salto relevante de conteúdo.

No início, as táticas são novos estímulos prontos para causar crescimento cataclísmico. Conforme o tempo passa e o comportamento do usuário se ajusta, a novidade desaparece.

As principais palavras-chave são dominadas por grandes marcas, bom conteúdo e muitas conexões sociais. Por isso, a melhor tática é construir uma marca que as pessoas querem seguir. Veja como algumas empresas estão fazendo isso:

As listas mágicas

Não é raro encontrarmos um cliente que pede para que o conteúdo tenha foco na criação de listas. “Dez coisas que etc..”, “Cinco coisas que fazem tal…” – o problema é que a web está inundada desses conteúdos.  Como a concorrência é grande para esse tipo de conteúdo, a divulgação necessária para alavancá-lo é enorme.

Além disso, conteúdo de baixa qualidade acaba se tornando um gasto –que não leva a maiores ou melhores conversões.

A quantidade de divulgação e os links que você terá para fazer campanha tornam esse tipo de conteúdo um pesadelo de ROI.

No B2B, é preciso se aprofundar mais no conteúdo, gerando informações de relevância para o comprador. Dependendo da natureza do negócio esse tipo de listagem não é relevante, e poderá apenas produzir um conteúdo vazio, e que vai surtir o efeito contrário no lead.

O fim dos formulários ou o “gated content”

Em inglês, “gated content” designa e-books e outros materiais ricos que só podem ser acessados pelo usuário após o preenchimento de algumas informações. Como falamos aqui no nosso primeiro podcast, acreditamos que esse formato de conteúdo está morrendo – mas talvez o que esteja saindo de cena sejam justamente os formulários, não o formato de conteúdo mais rico.

Algumas empresas já abandonaram o gated content, sem o prejuízo da geração de novos leads.

O tamanho do conteúdo

Esse outro grande ponto de discussão. Fala-se muito do tamanho do conteúdo, mas duas coisas são realmente importantes: qualidade de conteúdo e volume. É lógico que fazer um conteúdo com menos de 300 palavras não é mais aplicável nos dias de hoje, mas é importante manter um volume considerável de posts para aumentar a relevância. Vale a pena ler o conteúdo que publicamos aqui sobre essa teoria do volume.

Independente do “formato da moda”, é importante desenvolver conteúdo relevante para o seu público de interesse. Estude quais os formatos geram mais oportunidades de negócios, consultando e analisando o resultando orgânico do seu conteúdo.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O Marketing B2B e o Impacto do Coronavírus