Como as empresas estão mantendo seus negócios?

Empresas B2B geralmente entendem a importância de organizar eventos como uma forma de criar canais para geração de leads. Até o começo deste ano, segundo estudos de agências de marketing dos Estados Unidos, 68% desses departamentos usavam encontros desse tipo para transformá-los em vendas.

Mais do que isso, há muitos dados que apontam para o dinheiro que as organizações investem nesse tipo de lead.

No entanto, a pandemia do novo coronavírus modificou esse cenário: com as restrições sociais impostas pelos governos para conter a curva de contaminação, muitas empresas estão se voltando para o marketing B2B digital – e não parecem estar se arrependendo.

Apesar desse tipo de marketing não promover a mesma experiência pessoal que um evento, os canais digitais estão na dianteira dos planejamentos por diversos motivos.

Interação mais fluída

O primeiro deles é que, com o aperfeiçoamento cada vez mais rápido da tecnologia e o aumento da popularidade de certas táticas do marketing convencional, empresas B2B podem interagir com os visitantes dos seus sites, por exemplo, de forma mais pessoal – e em escala.

Hoje, ao contrário do que era até pouco tempo atrás, uma presença web é crucial para ser descoberto, e é por isso que as empresas estão investindo em produção de conteúdo online, como posts de blog, webinar ou mesmo cursos oferecidos por meio de plataformas específicas.

Mensuração de dados

Além disso, elas perceberam que os canais digitais são muito melhores para avaliar e mensurar dados do que os métodos tradicionais do marketing.

Com essas ferramentas, as organizações têm acesso a um grande volume de informações que as permite visualizar toda uma campanha em 360 graus, identificando áreas que estão dando certo e outras que precisam ser aperfeiçoadas.

Neste momento, em que muitos profissionais estão trabalhando de casa (e vão continuar assim até o futuro próximo), canais digitais oferecem uma maneira rápida de manter os negócios e interagir com clientes e prospects.

Isso porque, confinados em casa, eles só têm acesso aos dados, informações e oportunidades de consumo por meio do computador ou do smartphone.

No entanto, como investir em estratégias digitais? Qual delas priorizar?

Reformular o site

Uma delas é a presença web. O site de uma empresa é a primeira coisa que um cliente ou prospect vê.

Logo, ele precisa ter uma ótima impressão inicial. Especialistas de marketing apontam que, hoje, um site bem estruturado indica a prosperidade e capacidade de uma empresa e, mais do que isso, aponta muitos dos seus valores.

Algumas dicas para melhorá-lo são torná-lo mais mobile-friendliness (fácil para usuários de smartphones), serem mais repletos de conteúdo relevante, acessível para públicos diversos e, em alguns casos, que tenha algum tipo de interação relevante – o uso de chatbots, por exemplo.

Seguir regras de SEO

O SEO (Search Engine Optimization) é outra estratégia digital que mudou a maneira como as empresas se colocam no mercado.

A razão para isso é que, embora ter um site que ranqueia palavras-chave é extremamente lucrativo, o SEO é considerado uma estratégia de longo prazo, complexa e contínua – que exige investimento em dinheiro e tempo.

É por isso, inclusive, que muitas empresas atarefadas acabam deixando essas estratégias para depois. No entanto, não há melhor hora para começar um plano de SEO do que agora: aumentar o tráfego orgânico do site da empresa é fundamental para que ele se torne um gerador de leads.

A importância do conteúdo

Algo que ajuda muito nessa estratégia, é claro, é criar conteúdo. É por isso que o termo “marketing de conteúdo” cresceu tanto nos últimos anos.

Ele é comprovadamente uma forma de estabilizar a marca como especialista no seu segmento de atuação (indústria, serviços, etc.), assim como colabora para que consumidores e prospects a entenderem os serviços e produtos que uma empresa oferece.

Segundo a plataforma Hubspot, produzir conteúdo de blog é especialmente importante para o SEO: ele pode resultar em até 55% mais visitantes a um site.

Da mesma forma que o SEO, as organizações deixam de investir em marketing de conteúdo porque não têm tempo para produzi-lo.

No entanto, agora que os profissionais estão em quarentena e que muitos processos estão suspensos, pode ser um bom momento para manter os negócios por meio dessa estratégia.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn